“O vinho é a prova constante de que Deus nos ama e deseja ver-nos felizes ” Benjamim Franklin

O Terroir

Os vinhos da Adega de Arruda são vinhos da região vitivinícola de Lisboa. O terroir da região e a sua componente atlântica, juntamente com os conceitos de qualidade aplicados na criação das vinhas, proporcionam condições de excelência para a produção de tintos, robustos, nervosos e de grande caráter, bem como de brancos leves e frutados.

Embora não existam na região de Arruda maciços montanhosos ou altitudes significativas, o relevo predominantemente de encosta, a orientação dos vales e a influência atlântica, condicionam o seu clima que é caraterizado por temperaturas amenas, precipitação média, ausência de geadas tardias e humidade relativa do ar.

Os solos mais adequados para a cultura da vinha têm origem geológica no Jurássico e podem ser referenciados como predominantemente argilo-calcários.
 A qualidade da matéria-prima associada a uma laboração cuidada foram motivos para que a região de Arruda fosse reconhecida como região de produção de VQPRDs (Vinho de Qualidade Produzido em Região Determinada). A concretização desta intenção foi formalizada com o Decreto-Lei nº 331/89, de 27 de Setembro. Por outro lado, o Decreto de Lei 219/2002, de 22 de Outubro, determina quais as castas a utilizar na elaboração dos vinhos com direito à denominação de origem controlada (DOC) “Arruda”.

As castas

Nos últimos anos houve um grande esforço em toda a Estremadura em reestruturar a viticultura da região. Esta aposta foi acompanhada pelos produtores associados da Adega de Arruda. Promoveu-se e incentivou-se a qualidade, selecionaram-se castas, houve melhoria tecnológica e juntou-se o saber de gerações do viticultor ao conhecimento dos enólogos. Tudo isto foi fundamental para se conseguir colocar os vinhos da Região de Lisboa num patamar qualitativo francamente meritório e que vem confirmar a continuidade da vocação vitivinícola da região.

De entre as castas de mais-valia enológica na região da Estremadura/Vinhos de Lisboa, as que têm maior significado na produção dos vinhos da Adega de Arruda são as seguintes:

Castas Tintas: Aragonez, Alicante-Boushet, Castelão, Cabernet Sauvignon, Gran–Noir, Preto Martinho, Syrah, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Miúda.

Castas Brancas: Arinto, Fernão Pires, Jampal, Malvasia Rei, Rabo de Ovelha, Seara Nova, Vital.

“O vinho é composto de humor líquido e luz” Galileu